Velho Barreiro | Caipirinha Prendada

Tag - Velho Barreiro

Tipos de Cachaça: Você conhece todos eles?

Cachaça PrataCachaça OuroCachaça Premium, Cachaça Extra Premium, Cachaça Bidestilada, Cachaça Reserva Especial e Cachaça Adocicada. 

Quando resolvi criar o blog Caipirinha Prendada eu sabia que tinham outras cachaças além da 51, Pitú, Velho Barreiro e outra de Alambiques, mas não imaginava a riqueza de variedades e de história que cada rótulo de cachaça carrega quando é fabricado.

Me encantei com este universo, passei a estudar muito sobre a bebida para poder abordar de maneira correta o principal ingrediente da caipirinha – gosto muito dos cursos ministrados pela ESALQ que é referência em estudos e pesquisas. Já que é para aprender, temo que filtrar para ter informação de confiança. Tudo isto porque sabemos que é uma responsabilidade enorme falar da cachaça, agora eu sei que cada rótulo carrega muita história e é resultado de muita dedicação dos produtores.

Mas, e você, sabe a diferença entre os nossos tipos de cachaças?

Se não sabe, confira abaixo um resumo que pesquisei bastante antes de preparar este post para você.

Cachaça Prata: Também denominada como Descansada, Branca, Nova ou Tradicional, e a bebida armazenada num recipiente neutro para não alterar a cor. Lembrando que o armazenamento também é conhecido como “amaciamento” e, no caso da cachaça Prata, o recipiente não necessariamente tem que ser de madeira, pode ser, por exemplo, em inox. A cachaça Prata é a mais indicada para fazer caipirinha, mas nas minhas experiências usando outros tipos vou confessar que gostei muito e que caipirinha não é tudo igual não, se usar cachaça boa e dependendo do tipo de madeira onde a bebida for amaciada, no meu caso que sempre acrescento mais alguma fruta, o sabor final tem diferença sim.

Cachaça Ouro: Também denominada como Envelhecida ou Amarela, deve conter, no mínimo, 50% de cachaça nova envelhecida num recipiente de madeira apropriado, com capacidade não superior a 700 litros, e que fique armazenada pelo período mínimo de 01 ano para poder ser considerada como Ouro.

Cachaça Premium: É uma cachaça um pouco mais cara porque contém 100% de cachaça envelhecida em recipiente de madeira apropriado e com capacidade máxima de 700 litros. Tal armazenamento não pode ser inferior ao período de 1 ano.

Cachaça Extra Premium: É a cachaça que contém 100% de cachaça envelhecida em recipiente de madeira apropriado, também com capacidade máxima de 700 litros, mas com um período ainda maior de armazenamento antes de ser comercializada: período não inferior a 3 anos.

Cachaça Reserva Especial: É aquela  cachaça que possui características sensoriais diferenciadas, desde que devidamente comprovadas. Para isso, são feitos laudos técnicos emitidos por laboratórios públicos ou privados reconhecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Cachaça Adoçada: É a cachaça que contém açúcares em quantidade superior a 6g/ l e inferior a 30g/ l, expressos em sacarose.

Cachaça Bidestilada: É a cachaça que passa por nova destilação para garantir a eliminação de resíduos nocivos que dão sensação de queimação, odor forte, fatores bem característicos das bebidas de má qualidade.

Quer comprar cachaças diferenciadas para beber pura ou preparar caipirinhas? Acesse aqui e compre na loja Virtual Cachaça Express.

Fontes:  www.mapadacachaca.com.br  e www.ocachacista.com.br

Aliás, quem quiser saber mais sobre cachaça, vale acessar estes sites acima e viajar pelo mundo de informações sobre a cachaça, bebida genuinamente brasileira  que impulsionou a riqueza do nosso País no decorrer da história e hoje busca ganhar relevância internacional.

Caipirinha com Jabuticaba

Visitando a família do meu marido em Cornélio Procópio (PR), em todas as casas que eu passava tinham muitas jabuticabas e todo mundo perguntando se eu já tinha algum post no blog com o tal do ingrediente… Como ainda não tinha feito e as frutas estavam lindas, resolvi experimentar.

Como em todas as receitas que tenho feito até agora, preservei a base da nossa tradicional caipirinha e apenas acrescentei a jabuticaba.

Fazer caipirinha aos finais de semana é inevitável, então, até levei minha cachaça para usar. Desta vez a escolhida foi a Cachaça Prata do Engenho Santo Mário, lugar o qual tenho muito carinho porque conheço a família e desde criança ia para comprar doces, quando visitava os amigos em Catanduva. Agora que cresci consumo não apenas os doces de lá, mas a cachaça para nossas dicas de caipirinhas. Só sei dizer que ficou uma delícia!

 

Ingredientes: 

– 01 limão tahiti

– 02 colheres (sopa) de açúcar

– 02 doses de cachaças (120 ml)

– 10 jabuticabas ou mais, a quantidade que achar necessária para dar bastante sabor ao drink

 

Modo de Fazer: 

Preparar a caipirinha como de costume, veja aqui o nosso vídeo do canal no Youtube onde ensino como preparo a caipirinha para ficar saborosa e sem amargar.

Quando colocar o limão para ser amassado, já colocar também as jabuticabas e o açúcar porque o açúcar ajuda travar as frutas e ficar mais fácil para amassar e soltar o caldo tanto do limão como das jabuticabas.

Para dar um charme na apresentação da Caipirinha com Jabuticaba passei geleia de jabuticaba na borda que minha cunhada Ana tinha acabado de fazer. Além de lindo, deu um toque especial ao sabor da caipirinha e ficou tudo uma delícia.

Pena que em São Paulo a fruta esteja tão cara, mesmo sendo época de jabuticaba, mas no Paraná tinha jabuticaba sobrando nas casas porque muita gente planta e tem de sobra para dar aos vizinhos e amigos. A parte boa do interior, mas assim que a fruta estiver com preço melhor aqui, farei novamente porque ficou uma delícia.

 

 

 

 

 

 

 

Caipirinha com Framboesa

Levando em consideração a paixão que a maioria das pessoas tem por frutas vermelhas, decidi fazer uma série especial de caipirinhas com as frutas vermelhas mais queridinhas. Comecei com o morango que foi nosso post anterior e agora vamos de framboesa.

Aqui em São Paulo não é uma fruta meio cara, mas vale a pena para saborear em casa, curtindo os amigos e a família.

Preservei a base da caipirinha tradicional como tenho feito com quase todas as postagens.

Cachaça Usanda na Receita: Nesta receita usei a cachaça Velho Barreiro Ouro e ficou bem saborosa.

Mas, lembre-se: beba com moderação para não estragar a diversão.
Ingredientes:

Ingredientes Framboesa Caipirinha Prendada

  • 1 limão Tahiti
  • 15 unidades de framboesas ou mais, como preferir
  • 1 framboesa para decorar
  • 1 lâmina de limão para decorar
  • 2 doses de cachaça – nesta receita usei a Cachaça Velho Barreiro Ouro
  • 2 colheres (sobremesa) de açúcar – se a fruta estiver bem doc epode colocar menos açúcar
  • Gelo à vontade

Modo de Fazer:

Descasque o limão e corte-o como de costume, acrescente o açúcar e amasse as framboesas para soltar o caldo e misturar bem com o açúcar.

Acrescente o gelo e despeje a cachaça.

Experimente para ver se o sabor está harmonizado.

Decore a borda com 1 framboesa e com a lâmina de limão. Se tiver alguma outra ideia legal para decorar, esta é a hora de inovar. Fique a vontade e compartilhe conosco.

Pronto, a bebida está pronta para saborear com os amigos.

Mas, lembre-se: Beba com moderação para não estragar a diversão.

 

Benefícios da Framboesa: Confira o que veio escrito no rótulo da embalagem que compramos.

image1

 

Fotos: Kelly Costa – Acervo Caipirinha Prendada – Proibido o uso e/ ou reprodução da imagem sem autorização

 

Dia dos Pais – Que tal presentear com Cachaça?

Se a ideia e inovar no presente, confira dicas de cachaças ou mesmo receitas de caipirinhas para comemorar a data

Dia dos pais está chegando e se você ainda não sabe o que vai comprar para presentear, surpreender e agradar, então este post é para você.

Você já parou para analisar como o mercado de cachaça evoliu e, atualmente, disponibilizando muitos rótulos nobres? Tem até cachaça com flocos de ouro. Isso mesmo! Então, por que não surpreender o paizão com cachaças nobres? Abaixo separamos algumas dicas de cachaças finas para você conhecer e fazer sucesso no presente.

reserva 51 mediaCachaça Reserva 51 – Uma opção é presentear com uma versão nobre da tradicional e querida cachaça 51. Com tiragem limitada, esta é uma bebida destilada feita das mais nobres variedades de cana-de-açúcar e envelhecida, exclusivamente, em barris de carvalho. O resultado é uma cachaça de paladar macio, com bouquet inconfundível.

Por ser uma cachaça nobre e especial, Tanto a garrafa como a tampa, também são diferenciadas, por isso, desenvolvidas pelos mais renomados fornecedores do mundo. O cartucho é um verdadeiro presente e o rótulo impresso em papel reciclado com design que remete a um ar envelhecido e contemporâneo.

Preço no Empório Basílico: R$159,00 Compre agora: www.emporiobasilico.com.br

IMPORTANTE – Promoção limitada: Compre este kit no Empório Basílico no link acima e GANHE 01 Cantil da 51.

 

Cachaca Middas GoldenMiddas Ouro: Se a ideia for impressionar mesmo, por que não dar uma cachaça com flocos de ouro? O paizão não só ficará feliz como exibirá para todos os amigos que chegarem, afinal, estamos falando de uma preciosidade. Uma bebida artística, refinada e própria para agradar os mais sofisticados paladares.

Esta cachaça possui um blend exclusivo, composta por uma cachaça de dois anos, armazenada em tonel de madeira de amendoim do campo e outra cachaça armazenada em aço inoxidável. Possui baixa acidez e de intensa sensação olfativa, ideal para preparar drinks, inclusive, a caipirinha ou mesmo para ser apreciada pura. Acompanha cápsula de ouro a parte para ser misturada na bebida.

Preço na loja própria on line: R$180,00 – Compre agora: www.middascachaca.com.br

 

Velho Barreiro OuroVelho Barreiro Ouro: Esta Edição Especial Ouro da Velho Barreiro é de impactar no presente. Pois a garrafa totalmente dourada dá um charme ao presente e até já ganhou o “Prêmio Embanews” tamanha beleza que impacta o público no Ponto de Venda.

É um blend especial que combina cachaças amarelas envelhecidas com a branca tradicional, como forma de chamar a atenção dos consumidores apreciadores que gostam de algo diferenciado.

Preço Médio: R$45,77 (700 ml)

Compre agora: www.emporiowebvelhobarreiro.com.br 

 

 

kit Prosa MineiraProsa Mineira: Já que Minas Gerais tem fama de boa cachaça, então, as cachaças da Prosa Mineira do sul de Minas Gerais, certamente, farão sucesso. Uma boa sugestão é este kit com estojo personalizado que inclui 01 Cachaça Prosa Mineira Ouro e 01 Cachaça Prosa Mineira Tradicional, além de acompanhar 1 copo de vidro personalizado para degustar as cachaças.

Preço: R$80,00 + frete – Compre agora: www.cachacaprosamineira.com.br

 

 

kit caipirinhaKit Caipirinha Velho Alambique: Que tal um kit para fazer Caipirinha que ja vem com a cachaça? Este aqui é o kit da cachaça Velho Alambique. A cachaça é elaborada a partir de canaviais próprios que não possuem nenhum tipo de agrotóxico. A cana-de-açúcar é cultivada de maneira orgânica, o que permite um sabor surpreendente e diferenciado na cachaça.

Preço no Cachaça Express: R$77,90 + frete

Compre agora: www.cachacaexpress.com.br

Mais do que dar um presente, o ideal é estar presente e comemorar a data. Então, preparamos também sugestões de caipirinhas gourmet para que este Dia dos Pais tenha um sabor diferente e marcante, como deve ser. Confira sugestões:

Mas, lembre-se: Beba com moderação para não estragar a diversão.

Caipirinha Caipira (Curato Hof)

Demorou, mas agora deu certo de postar uma receita usando o Curato que ganhei da marca Hof, durante minha visita à Expo Cachaça 2016.

Na verdade, demorou porque eu estava me inspirando numa receita bem legal para destacar a bebida na caipirinha de maneira que pudéssemos sentir o sabor de maneira realçada porque a bebida é muito boa.

Fiz a receita da caipirinha e agora a guardo o Curato puro na geladeira para bebericar em casa quando vou cozinhar para o meu marido (risos).

Resumidamente, esta bebida a defino como uma viagem aos sabores passando por casca de laranja, baunilha e café, tudo bem harmonizado. É uma bebida que surpreende e deixa um saborzinho de quero mais e, na minha opinião, fica ainda melhor quando bem geladinho. Para não interferir em nada no sabor do Curato, escolhi a cachaça bidestilada do Engenho Santo Mário,  pelo qual tenho carinho especial e admiro muito o trabalho da família.

Na caipirinha que preparei, fiz no mesmo estilo que a Caipirinha com Café, porém, usando limão rosa e substituindo o café pronto pelo Curato. Para dar um charme, acrescentei grãos de café e ficou uma delícia e com uma apresentação linda. Afinal, o visual faz parte das nossas receitas.

Segue a receita, mas, lembre-se: Beba com Moderação para não estragar a diversão.

 

Ingredientes:

– 1 limão rosa ou limão caipira como é conhecido

– 1 dose de cachaça bidestilada

– 1 dose de Curato Hof

– 2 colheres (sopa) de açúcar

– Grão de café para decorar

 

Modo de Fazer:

Descasque o limão deixando um pouco da casca;

Corte em 4 partes tirando o miolo;

Acrescente o açúcar e amasse bem;

Acrescente o gelo;

Acrescente a cachaça e mexa bem;

No final, acrescente o Curato e não mexa mais o drink;

Jogue alguns grão de café

Decore a borda com uma lâmina de limão e está pronto.
Só saborear, mas lembre-se: beba com moderação para não estragar a diversão.

 

 

Caipidrink de Tomate

Desde que vi algumas receitas de caipirinha usando tomate cereja fiquei tentada a experimentar, mesmo não sendo fã nem do suco de tomate. Isto porque a cachaça pode mudar todo um paladar. Pelo menos foi o que percebi quando fiz a caipirinha COM pepino ou caipidrink de pepino, como preferir chamar – achei que seria um drink sem graça e ficou uma delícia.

Diante disto, mesmo não sendo muito fã do suco de tomate, resolvi testar e fazer uma  receita de caipirinha acrescentando o tomate.

Não foi uma receita inesquecível, talvez porque eu não seja muito chegada em tomate, mas quem estava junto e tomou gostou bastante.

Fiz com a cachaça Velho Barreiro OURO com 39% de teor alcoólico. Na garrafa não tem mais detalhes sobre a bebida, por isso, não descreverei aqui. A embalagem é linda, dourada e não resisti. Comprei para saborear com minhas caipirinhas e escolhi para fazer esta receita. Não é apenas uma bebida em embalagem bonita não, o sabor é diferente e na caipirinha ficou bem legal. Gosto de fazer caipirinhas mudando as cachaças porque cada uma tem sua particularidade e faz a diferença conforme as frutas usadas, o paladar de cada um etc.. Estou adorando conhecer a variedade de cachaças e o resultado de cada uma nas minhas receitas.

Mas falando no nosso caipidrink com tomate, seguem os ingredientes e como fiz a receita.

Ingredientes:

  • 2 doses (100 ml) de cachaça gelada
  • 2 colheres (sobremesa) de açúcar
  • 1 limão (descascado deixando um pouco da casca e tirando o miolo)
  • 8 tomates cortados ao meio
  • gelo a gosto

Modo de Preparo: 

Corte os tomates ao meio, acrescente o limão cortado em cubos e sem o miolo. Acrescente o açúcar e amasse bem o tomate e o limão. Coloque tudo numa coqueteleira e crescente a cachaça e agite bem. Então, volte para o copo, coloque o gelo à vontade. Decore como quiser.

Como em todos os meus drinks, deixei um tomate na borda do copo para decorar e identificar o sabor da bebida. Aqui, aproveitei para usar o mexedor que ganhei da Vivian Bruniera.

Pronto, agora só servir e aproveitar para colocar a conversa em dia.

Mas, lembre-se: beba com moderação para não estragar a diversão.

Aproveite para conferir as outras receitas aqui no blog, mande fotos das receitas que você fizer e comente nas nossas redes sociais.

Caipirinha com Goiaba

A goiaba que fica uma delícia no suco, na geleia e nos doces, também fica muito saborosa na caipirinha.

Até brinco dizendo que se uma fruta ou legumes dá doce, geleia ou salada, a chance é de 99% de dar certo associada à caipirinha. Por exemplo, todo mundo adora a nossa receita de caipirinha com banana; a caipirinha de rúcula também fica show, assim como a de pepino e caqui, todas estas e muitas outras aqui no blog.

Mas, falando da caipirinha de goiaba, além do sabor, descobrimos que é possível ter um visual bifásico como este que está na foto. Foi por acaso que descobrimos, mas no modo de preparo explicamos como fazer. Confira!

Ingredientes:

  • - 2 doses (100 ml) de cachaça
  • - 2 colheres de açúcar
  • - 2 limões (1 Caldo/ amassado)
  • - 1 goiaba vermelha – tamanho médio ou grande
  • - gelo a gosto

Modo de Preparo: Bata no liquidificador a goiaba, com 50 ml de cachaça, 1 limão espremido (só o caldo), 1 colher de açúcar e, se desejar, algumas pedras de gelo também para a mistura ficar bem cremosa. Da primeira vez que fiz não peneirei e achei meio ruim ter que ficar tirando as sementes quebradas, desde então, sempre passo pela peneira. Reserve este creme de goiaba.

Daí, no copo onde servirá a caipirinha com goiaba, amasse 1 limão do jeito que é feito na caipirinha original – tirando um pouco da casca, o miolo branco, cortado em 4 partes, daí acrescente 1 colher de açúcar e amasse. Lembrando que a polpa do limão é recomendável que fique virada para cima porque daí não espreme tanto a casca e evita de amargar. Acrescente 1 dose de cachaça (50 ml) e mexa bem para misturar todos os ingredientes desta base. Assim que acabar de amassar o limão da base, já pode acrescentar o tanto de gelo que desejar.

Após o gelo, coloque no copo a mistura que bateu feita com a goiaba e não mexa mais para que o conteúdo fique bifásico (verde na base e vermelho na parte de cima). É legal deixar para quem for beber mexer porque fica lindo o visual.

Vale explicar aqui que a receita de onde pesquisamos não tinha o limão, não recomendava peneirar, a cachaça era toda colocada na mistura que bate com a goiaba e orientava para mexer tudo. No entanto, para o nosso blog queremos dar dicas que deixem o drink bonito, saboroso e fiel ao conceito da caipirinha. Então, por isso que acrescentando o limão que é a base da caipirinha, ajustamos a forma de misturar os ingredientes já que queremos a bebida bifásica e com sabor de cachaça, limão e açúcar bem distribuído nas 2 fases (vermelha e na verde) Na parte vermelha usamos o limão espremido para ela ficar mais leve e não misturar com a parte verde. Assim, quem quiser vai tomando como está sentindo todos os sabores ou mistura tudo de uma vez.

Mas, lembre-se: Beba com moderação, não estrague a diversão.

Caipirinha com Seriguela

Carnaval tem tudo a ver com seriguela, então, resolvi fazer uma homenagem e curtir o meu sossego na serra apenas saboreando uma caipirinha com esta fruta que aprecio desde criança.

Ingredientes:

  • - 2 limões taiti
  • - 4 colheres (sobremesa) de açúcar
  • - 100 ml de cachaça
  • - 12 pedras de gelo
  • - 20 seriguelas porque gosto de sentir mesmo o sabor da fruta.

Modo de Preparo:

Lave as seriguelas e coloque no copo, acrescente o açúcar para amassar e soltar o sabor da fruta. Não tirei o caroço porque tiraria também muito da fruta e ele curtido vai soltando também o sabor.

Acrescente o limão e soque para soltar bem o caldo;

Acrescente o gelo;

Coloque a cachaça e mexa bem.

Deixe uma fruta inteira no topo do copo para que quem não conhece a fruta possa saboreá-la inteira.

Ficou ótima! Sempre que eu ver vou comprar sim.

Queridinha no Brasil, cachaça faz 500 anos sem conquistar mercado mundial

Créditos – Fonte: Site Folha S. Paulo
Texto: Tatiana Freitas de São Paulo – 10/ 01/ 2016 – Foto: Vinicius Pereira (Folha Press)

Aos 500 anos, completados em 2016, a cachaça ainda não encontrou o seu espaço no mercado internacional e enfrenta dificuldades para manter o crescimento no segmento premium, destaque do setor nos últimos anos. Criada em 1516 num engenho na feitoria de Itamaracá (PE), a cachaça fez um voo de galinha na exportação.

As exportações caíram 27% em receita e 17% em volume no ano passado, segunda dos da Secex (Secretaria do Comércio Exterior). A receita,  de US$13,32 milhões em 2015, foi a menor desde 2007.

Apesar de os EUA (segundo principal importador) terem reconhecido oficialmente a cachaça como genuinamente brasileira, a bebida ainda não decolou no exterior devido à falta de investimentos em promoção, segundo fabricantes.
“As exportações cresceram em anos anteriores porque o Brasil estava na moda. Mas o produto é um mero desconhecido lá fora.”, diz Maria das Vitórias Cavalcanti, diretora de relações internacionais da Pitú, uma das maiores exportadoras do país. Apenas 1,2% do volume de vendas da empresa vai para o exterior.

O pico da exportação ocorreu em 2014. A Copa do Brasil estimulou o interesse pela bebida, mas o setor não conseguiu manter o resultado, mesmo com a ajuda do câmbio.

“Para ser player mundial, é preciso investir”, diz César da Costa Rosa, presidente da Velho Barreiro, em que as exportações representam 3% do negócio. Estudos da companhia mostram que seria necessário um investimento de US$110 por produto de venda no exterior para a cachaça começas participar do mercado mundial de destilados.

“O setor sozinho não tem caixa para fazer isso”, afirma.

O Brasil produz 800 milhões de litros por ano de cachaça, ou 4% do mercado global de destilados, segundo a Euromonitor. A exportação não chega a 2% da produção.

BRANQUINHA

A cachaça embarcada é a “branquinha”, para elaboração de caipirinhas. Tem baixo valor agregado. Mais da metade é exportada a granel, e são poucos os fabricantes de bebida envelhecida que se dedicam ao mercado externo.

A gaúcha Weber Haus é uma delas. Cerca de 35% do faturamento dedicado ao segmento premium e de orgânicos, é proveniente de exportações. “O setor ainda está sendo descoberto no mundo. Estamos trabalhando para divulgar a cachaça como opção de consumo em doses, afirma Evandro Weber, sócio-diretor.

Apesar de reconhecer os esforços recentes da Apex (Agência de Promoção às Exportações), as empresas afirmam que é preciso mais. Defendem que o governo vista a camisa da cachaça como produto típico nacional.

As críticas se referem não só à promoção da bebida no exterior como ao sistema tributário, que estimularia a informalidade – situação que abrange 85% , segundo o Ibrac (Instituto Brasileiro de Cachaça).

Sob o ponto de vista do Comércio Exterior, a Apex afirma que houve pouco tempo para que suas ações se convertessem em números – o trabalho da agência com o setor teve início em 2012.

Segundo Cristiano Braga, gerente de exportação da Apex, o governo investiu R$5 milhões nos últimos anos para promover a cachaça. Mas ele diz que dinheiro não é tudo. “A expansão depende também da capacidade de organização do setor”.

A tequila mexicana, cuja exportação supera US$ 1 bilhão por ano, é citada como exemplo pelos produtores.

Mas o presidente do Ibrac, Carlos Lima, diz que o avanço da bebida está relacionado à organização do setor. “O governo deu autonomia ao conselho regulador da tequila, uma instituição privada, que se autofinanciou. Precisamos de algo semelhante”.

AUMENTO DO IMPOSTO

A principal queixa do setor hoje é a tributação. Em dezembro, houve alta do IPI, que passou de até R$2,90 por litro para uma alíquota de 25% sobre o valor final do produto.

A medida afeta principalmente o mercado premium. O IPI sobre uma garrafa de R$50,00 foi de R$2,90 para R$12,50. “Vamos ter de reduzir produção e pessoas e parar de investir”, diz Weber.

Para Lima, o aumento de impostos pode atrapalhar  o desenvolvimento deste segmento, o único que vinha crescendo no país. Em 2015, até agosto, as vendas totais de cachaça caíram 4% em volume, segundo a Nielsen. Em valor, houve aumento de 7%. “É um sinal de que o público está valorizando mais a qualidade”,  diz Jairo Martins, especialista em cachaça.

Fonte: www1.folha.uol.com.br/mercado